como assim, uma semana?

17_12_07.jpg

Acho que eu sou uma pessoa óbvia, pois todo ano tem repeteco da mesma cena: a ficha caindo que faltam apenas alguns dias para o Natal e eu ainda não fiz nada, não pensei em nada. Talvez isso aconteça porque essa festa não é a minha favorita, não é a mais aguardada, não é a mais planejada. Eu somente vou com a onda e talvez seja por isso também que eu sempre tomo um caldo. Pois chegou o dia da ficha cair. Enquanto mantinha os olhos cravados no número 17 do calendário—que está exatamente em cima do 24, quer dizer daqui uma semana será Natal—tive meu chacoalhão, meu wake up call.
Não é novidade que eu sempre deixo tudo pra última hora e por isso mesmo preciso registrar o fato mais uma vez, para que fique bem claro para as gerações que nos seguirão que a grandma Fezoca não curtia muito os festejos do Natal. A casa não tem nenhum enfeite, nem árvore, nem luzinha, nem Bing Crosby cantando White Christmas, muito menos cookies de gengibre e canela assando no forno. O sambalelê vai começar agora, com aquela habitual procura histérica por receitas legais, a correria pelos supermercados da cidade em busca dos ingredientres, a esperança de que todas as sobremesas ficarão comíveis e a única certeza—que o esquema do peru vai ser o mesmo. Gingo-o-beus, gingo-o-beus!

12 comentários sobre “como assim, uma semana?”

  1. Fer, eu já tive várias fases em relação ao Natal. Já amei, já achei um saco, já fui indiferente, já voltei a amar, já fiquei deprê e agora estou amando novamente. É a época de enfeitar, de planejar, de comer coisas mais gostosas, de comprar, dar e receber presentes etc e tal. Agora, a pergunta que não quer calar é: por que você sumiu do Twitter???
    Beijocas, com saudades.

  2. Eu concordo com cada um de vocês.
    O Natal sempre foi uma daquelas datas esperadas pela família toda o ano inteiro, porém depois que o meu avô faleceu simplesmente perdeu a graça. Cada um debandou para um lado e só agora voltou a fazer sentido para mim, não só porque eu tenho uma filha pequena, mas porque com a distância da família eu passei a ver essas celebrações com outros olhos – uma espécie de reencontro com aqueles que amo e com os valores que estão dentro de mim. O consumismo me incomoda mais que a decoração espalhafatosa porque viramos “escravos” dele – aquela coisa das pessoas estarem sempre esperando uma lembrança, etc.
    Falei bastante já…rs
    Beijo, Fer.

  3. Desde há 13 anos para cá que a minha revolta começou, agonia-me o conssumismo e as decorações exageradas principalmente no exterior das casas, (luzes e luzes, e pisca e cores…) em algumas eu sei que dentro não há espirito de familia. Minha filha cresceu sem árvore de natal e sem Pai Natal da Coca Cola, e sempre aceitou! Natal para mim é familia e solidariedade coisa que devem estar presentes 365 dias por ano, e não assim!
    Beijocas

  4. Dizem que quando se tem filhos passa-se a gostar do Natal. Por eles. Pela empolgação deles. Quer dizer que não é assim? E eu que achei que ainda algum dia saberia o que é o tal do espírito de Natal…

  5. que bom que eu não sou a única a me desesperar!
    odeio a obrigatoriedade de se curtir o natal.
    eu moro no rio de janeiro, o calor está insuportável, os shoppings/mercados estão lotados e o meu dinheiro acabou. só vou fazer festa pq aqui na empresa ganhamos cesta de natal e se eu não cozinhar logo esse peru ou chester eles vão passar o ano que vem todo dentro do meu congelador! desculpa o desabafo, mas estava entalada.
    beijos a todos nesse cantinho tão legal

  6. Eu ja gosto do Natal, era a epoca q a familia se reunia, tudo bem alegre e todo mundo feliz!
    Mas depois q minha avo materna faleceu parece q perdeu um pouco o sentido da coisa.
    Porem, agora com o Matheus virou tudo festa de novo, ele adora e nao ve a hora da chegada do Papai Noel! hehe!
    Eu tbem nao sou muito de decoracao, mas Matheus adora um pisca-pisca! hehehe! O Gabriel gostava do Natal Fer? Ou puxou a mae??!
    Beijos e Ho Ho Ho amiga, Feliz Natal p/ voce!!
    (e nao se preocupe, eu tbem ainda nao comecei a busca desenfreada de receitas de natal praticas p/ a ultima hora! hehehe!!)
    Beijos!
    Ana

  7. eu achei que depois de véia ia encarar a ceia de natal, os preparativos, a lista enorme do super…
    que nada, continuo assim não despertando pra esse ritual, e nem querendo também, passo na boa com um jantarzinho pra mim e pro véio feito sem pressa e sem peru.

  8. Ai Fer..eu tenho ateh (entre outros e os classicos) uma trilha de Christmas songs in Surf rhythm..haha:))
    Mas estou contigo, nao comprei nadika ainda.. {suspiro}
    Bjs querida
    Bri

  9. Fer, sou igualzinha. Ainda não fiz nada para o Natal e, obviamente, tá dando aquela agonia conhecida. Amanhã já começo a me redimir e vou assar uns cookies com as meninas. Quanto à decoração, estou esperando meu marido chegar na quinta. Aliás, decidi reservar a minha passagem para a CA para o ano que vem. De qualquer maneira, parece que o tempo está muito feio, não. E eu tinha mil coisas p/ fazer aqui. Espero que a gente possa se encontrar quando eu for! 🙂
    beijocas
    P.S. Eu comprei um pannetone italiano sem gordura trans! Mas detestamos. Agora nos espera um tal de bolo árvore da Kopenhagen. Depois eu conto!

  10. bárbaro!!!
    seu texto mais uma vez está um primor!!!! imaginei vc se descabelando ao ver o calendario, tipo passando as mãos da texta à nuca…tenho creteza que muita coisa boa surgirá!
    bjos

Deixe a sua pitada: