caçarola musical

Quando o sofisticado e excêntrico Jeremiah Tower tomou posse como chef da cozinha do restaurante Chez Panisse em meados da década de 70, ele imediatamente determinou—chega de Led Zeppelin tocando nesta cozinha, de agora em diante só ouviremos música clássica enquanto trabalhamos.

Eu acredito que ouvir música na cozinha deve ser um fato unânime e universal. Todo mundo ouve alguma coisa enquanto corta cebolas e refoga o molho. Eu sempre tive uma boombox na bancada da cozinha, onde ouvia meus cds. Mas como já mantenho o meu laptop na cozinha há um bom tempo, acabo ouvindo música nele. Ouço os cds que copiei pro computador ou as rádios do iTunes ou websites ecléticos como o Pandora. Eclético é também a melhor palavra pra definir meu gosto musical. Eu ouço muita coisa diferente. Algumas coisas muito diferentes, como hits dos anos 20 e 30.

Eu cresci ouvindo todo tipo de música, providenciadas pelo meu também eclético pai, que comprava de tudo e nos expôs à uma variedade enorme de estilos musicas. Meu pai ouvia de Mozart, a Nina Simone, a Jimi Hendrix. Mas ele se concentrava muito mais na música clássica, que eu passei a infância escutando. Fui amplamente exposta, mas não desenvolvi gosto pelos clássicos. Como também nunca fui a maior fanzoca da MPB. Eu sempre gostei mesmo foi de old Blues, old Jazz, Bob Dylan, a música negra norte-americana em geral e o bom e velho Rock ‘n’ Roll. Eu sou uma pessoa totalmente Led Zeppelin e iria ser forçada a pedir demissão se por acaso trabalhasse na cozinha do Chez Panisse durante o reinado clássico do chef Jeremiah Tower.

6 comentários sobre “caçarola musical”

  1. Música, sempre! Clássicas, old jazz, old blues, Jobim Maestro, MPB em geral, na cozinha, na copa, no quarto, na casa inteira! Meu pai me ensinou a gostar disso tudo, inclusive da música espanhola tradicional, de seus pais…
    Na minha sala na OAB tem sempre um som rolando, bem suave …

  2. Quem cozinha com blues ou jazz tem que ser respeitado
    Cozinhar com um cd da Billie Holiday ou um da Ella com o Louis é fantástico. A cozinha é o coração da casa e a música é a alma. Dessa combinação dificilmente alguma coisa dá errada. No mínimo, é prazer garantido!
    Recomendo a todos um cd que não paro de escutar : Frenck Kiss, com Charles Trenent, Van Morrison e outros. Inesquecível!

  3. A música é realmente essencial numa cozinha. Eu oiço um pouco de tudo enquanto cozinho ou trabalho, mas também não consigo ouvir música clássica sempre. Tenho impressão que também tinha de pedir demissão dessa cozinha!!!
    Nos últimos dias, na minha cozinha tem tocado ‘The Puppini Sisters’. Muito retro! Ou como o meu querido marido gosta de dizer: música de mulheres!

  4. aqui no atelier escutamos música o dia todo, o marido gosta de clássicos e ópera ,meu gosto é bem eclético,rock,blues, etc..então de manhã ouvimos clássicos(para começar o dia na paz) e a tarde,todos já turbinados,eu me aposso das carrapetas(pensando bem deveria ser o contrário a programação) e aos sábados marido fica possuído por seu sangue gauchesco da fronteira e escuta músicas do Rio Grande , daí que o sábado é meu dia livre(risos..)beijo!

  5. eu admiro qm gosta, mas minha ignorancia não me permite gostar de tal genero, nao consiguiria nunca trabalhar numa cozinha agitada ouvindo um clássico, talvez depois de um tempo me acostumaria, mas acredito q seria um martirio diário! bjos

Deixe a sua pitada: