Asheville , 10 — China, 0

Fiquei totalmente horrorizada lendo essa reportagem do New York Times sobre o fechamento de um monte de fábricas de alimentos na China. A história toda começou a vir à tona, quando animais começaram a morrer aqui nos EUA contaminados com uma comida produzida no Canadá com matéria prima vinda da China. Eu evito o máximo que posso comprar produtos made in china, mas está ficando cada vez mais difícil, pois parece que o mercado norte-americano está totalmente dominado pelos chineses. É um choque ver uma cultura tão rica ser totalmente corrompida pela sede de lucro e poder. Eu estou sempre ouvindo que em breve a China será a maior potência mundial, superando os EUA. Quando isso acontecer eu espero estar morta.
Mas nem tudo são horrores neste mundo. E existe sim a possibilidade de uma economia sustentável, sem sweatshops, salários micros, exploração, e política desonesta. A Kate Hopkins do Accidental Hedonist publicou essa história muito legal dessa cidadezinha e depois publicou mais um artigo argumentando uma critica. Vale a pena ler os dois textos dela e descobrir que há muita gente repensando os velhos e carcomidos modelos de economia capitalista, que visivelmente não são os caminhos que vão nos levar a construir um mundo melhor.

8 comentários sobre “Asheville , 10 — China, 0”

  1. Ai meu Deus, fui até verificar da onde eram os produtos que comprei na Liberdade outro dia. Dessa vez não comprei nada chinês, mas com certeza já comprei produtos de lá. Hoje escutei na rádio Eldorado sobre exportadores chinese que estavam falsificando carne brasileira (com selo e tudo) e mandando para EUA e Europa. bjo, Nina.

  2. Menina, eu sei que no meio da “rusga” lá das duas, até minha cidade pagou o pato, você viu?
    Lembrei das conversas sobre Davis no fim-de-semana-passado.

  3. Acho que qualquer tipo de massificação é assustadora. A invasão de produtos chineses em todo o mundo, principalmente por questões econômicas, pode virar uma catástrofe.

  4. Que textos ótimos!
    Concordo com as colegas acima também.
    Aqui perto de casa abriu uma loja de café meio anos 40/50, uma graça.
    Estive lá ontem para chupar sorvete com a minha filha, mas eles só aceitam cash, com certeza voltarei outro dia com dinheiro no bolso para apoiar a comunidade.
    Beijos!

  5. A China está em todo o lado,temos mesmo que estar atentos…
    Muito interessantes,esses textos da Kate Hopkins,dão que pensar.Como podemos seguir o exemplo de Asheville?seria quase começar de novo..agora,tenho que confessar que adoro o Starbucks…
    Ana.

  6. Infelizmente não é só por aí que está havendo uma invasão chinesa, eu acho que é por todo o lado. Aqui em Portugal também, é inacreditável. Na minha cidade (que está num concelho que tem apenas 30.000 habitantes) tem, assim de cabeça, pelo menos 5 lojas de produtos chineses. E eu sei que se saísse para contar concluiria que são muitas mais! Me dá medo pensar na China como próxima super potência, acho que não têm maturidade para isso. Mas também, na verdade, acho que ninguém tem…

  7. Fernanda, também fiquei horrorizada com este artigo e tudo mundo elogiando o progresso da China. Não tenho nada contra o povo chines, que tb é um povo sofrido, mas tenho raiva do governo chines, da imprensa controlada, e deles se sujeitarem a ganhar tão pouco, fazendo com que as multinacionais instalem sites lá, pagando micro salários e isso tb se reflete aqui no BR onde as mesmas multinacionais cada vez mais querem diminuir os salários e sugar o trabalhador para poder competir com a China.

  8. Fer, concordo 100% com o 1o paragrafo, inclusive meu desejo de nao estar aqui pra ver qdo o dia chegar..Eh impressionante a invasao, nao soh de produtos, mas de pessoas, akih em SD abriram as portas, eh soh ir ao Costco e ver..
    Tks pelas dicas no 2o paragrafo..vou la ler:)) Ja viu que hoje nao estou tao busy..hehe
    Bjs
    Bri

Deixe a sua pitada: