A eterna dúvida que me consome intensamente

Hora do almoço: o que vou comer? o que vou comer? Serão sempre restos requentados do jantar, ou um misto quente com salada de folhas, tomates, algo fácil. Eu tento comer bem no almoço, porque sinto que preciso—além de forrar o bucho pra não ficar esfomeada durante a tarde e acabar comendo porcarias—também ter uma refeição nutritiva. Pra mim o almoço ainda é, mesmo realmente não sendo mais, a refeição mais importante do dia.
Hora do jantar: o que vou fazer? o que vou fazer? Todo dia, sem exceção, eu fico muito tempo vagando pela cozinha com a cabeça vazia de idéias, olhando repetidamente dentro da geladeira e nos armários de despensa, pois não consigo planejar menu e nunca sei o que fazer. Todo dia eu tenho um momento de absoluta certeza de que não vou conseguir cozinhar nada. É um começar do zero diário. Quando eu tenho a sorte de dar de frente com uma receita legal e ainda ter todos os ingredientes, fica muito mais fácil. Mas o normal é sempre faltar um ou dois ingredientes e eu ter que improvisar, substituir, ou se acho que não vai rolar, desistir. O jantar é sempre um esforço, também porque no final do dia eu já estou bem cansada, e sonho—ou melhor, deliro—com a idéia de chegar em casa e encontrar a mesa posta com um ranguinho brejeiro—caseiro não feito por mim, já servido, fumegante, saboroso e prontinho para ser devorado.

11 comentários sobre “A eterna dúvida que me consome intensamente”

  1. por aqui, quem nos salva é nossa “nice”
    mas de todo modo, tenho que deixar tudo pensadinho no dia anterior
    idéias e ingredientes, enfim…
    não se pode ter tudo, não é?

  2. “no final do dia eu já estou bem cansada, e sonho—ou melhor, deliro—com a idéia de chegar em casa e encontrar a mesa posta com um ranguinho brejeiro—caseiro não feito por mim, já servido, fumegante, saboroso e prontinho para ser devorado.”
    Isso eh provavelmente um dilema de muitas entre nos. Essa so eu tbem… as vezes isso era tudo q eu queria!
    Ana

  3. E porque não faz uma ementa no início da semana?
    Comigo também acontecia isso e depois lembrava-me de receitas que podia fazer se tivesse planeado, porque já devia estar a marinar, etc.
    Então, no início da semana e conforme o que tenho na disoensa, frigorifico ou arca congeladora faço a ementa para toda a semana e depois é só ir lá ver o que é nos próximos dias pra ver quando preciso de descongelar, de temperar, etc!
    Ficou muito mais fácil!

  4. Entendo perfeitamente seu dilema diário, pois tenho o mesmo problema, porém no almoço. Aqui são três pequenos e o marido, às vezes fica difícil de agradar a todos. Bjs!

  5. Minha casa é parecida com a sua , ainda mais agora, que a filha estuda fora…sou eu e meu marido as voltas com lanchinhos, molhinhos e sopinhas.bjo grande

  6. Aqui o jantar geralmente é um reinventado do almoço para as crianças. Para meu marido e eu vamos na salada e algumas invenções básicas, acrescenta um pita aqui, ou um molho diferente, um cornbread de última hora. Uma vez por semana tem jantar especial, que fazemos questão que seja diferente. Mas nós temos uma vantagem… a minha do lar… que pensa por nós, só confirma de vez em quando o que queremos para o almoço… Bjs!

  7. Você não imagina como fico grata quando o marido me tira desse dilema dizendo “Amanhã a gente almoça no …” Acordo até mais animada, porque sei que terei mais tempo para fazer minhas coisas e não preciso me preocupar com nada.

  8. Putz, eu sou bem assim também. Almoço é a principal refeição, mesmo que me digam que é errado. Tem dias que é a única refeição do dia. Erradíssimo, mas…Fazer o que…
    E encontrar tudo em casa pra fazer aquela receita? Impossível. Acho que só a Nigella e o Jamie Oliver conseguem. Hehe.

  9. Fer, esse é o meu grande sonho! Chegar em casa e encontrar o jantar prontinho… E todo santo dia tenho o mesmo dilema que vc: descobrir o q fazer para o jantar. Considerando mais um detalhe: eu não gosto muito de carne (embora coma) e meu marido não gosta muito de legumes (embora coma). É cansativo mesmo! Por isso eu estou sempre visitando os blogs de culinária (principalmente o seu e o das Rainhas), pra ter alguma idéia salvadora!

Deixe a sua pitada: