o prato ambulante

Eu não conheço muitos países e os que eu conheço só fui visitar, então não posso afirmar nada com relação aos outros, mas aqui no norte da América – EUA e Canadá, essa visão dos pratos ambulantes é muito comum. Digo pratos ambulantes para o pessoal que caminha em público carregando um prato e comendo com um garfo, como se estivesse numa festa, mas em movimento. Todo santo dia eu vejo muitos pratos ambulantes caminhando pelo campus da Universidade da Califórnia, onde eu trabalho. Vou ao banheiro, lá vem um prato. Vou ao correio, lá vejo outro prato. Vou esticar as pernas, mais outro prato no horizonte. Claro que esse fenômeno acontece mais próximo da hora do almoço, quando os enlouquecidos estudantes e professores mal têm tempo para bater um rango decente. Muitas vezes se alimentam andando e discutindo assuntos acadêmicos, ou sentados em qualquer cantinho ou janela, outras vezes comem na sala de aula. Pratos ambulantes competem com os estudantes munidos de laptops, livros e cadernos que infestam os cafés das cidades universitárias. Bom, pelo menos nos cafés eles sentam.

12 comentários sobre “o prato ambulante”

  1. Oi Fer
    Olha fiquei admirada qdi vi esses pratos ambulantes em Paris. As pessoa comendo as baguetes pelo metro, andando nas ruas e tudo mais. Depois em Nova York, pior ainda, pessoas sentadas no meio fio almoçando, andando nas ruas, nas filas…… Fah.

  2. “…carregando um prato e comendo com um garfo…”, os daí têm estilo. E aqueles que inesperadamente, sacam a comida, sem guardanapo diga-se de passagem, e começam a devorá-la em público, no metrô, no consultório médico, na recepção, na frente de todo mundo, sem a menor cerimônia. É triste…

  3. Isso é que é levar o conceito de fast-food ao limite!
    Você não corre o risco de me ver comendo um sanduíche em pé ou andando com o prato na mão. Até que cafezinho eu tomo sentada. Meu estômago agradece.

  4. Fer, acho que isso depende muito dos costumes mesmo. Aqui no Brasil acho que não é muito comum. Minha filha mais velha, não sei de onde nem porquê, sempre que via alguém comendo em pé, dizia: “senta, porque quem come em pé é cavalo!” Até hoje a frase dela é usada aqui quando alguém come de pé e, inevitavelmente, me faz rir.
    beijo,

  5. Fezoca, por aqui ainda não se vê isso, geralmente as pessoas sempre arranjam 10, 15 minutos para comer qualquer coisa, nem que seja em pé junto ao balcão de um restaurante ou pastelaria…essa correria de pratos na mão, andando e comendo não é para mim…ter algum tempo para as refeições é importante, eu tenho que comer sentada mesmo que tenha pouco tempo.
    Bjs grandes

  6. Meu marido me chama de sistema. Calma que eu explico: para tudo eu tenho todo um processo. A panela do arroz é do arroz, tenho um copo de liquidificador para fazer suco e vitamina e outro para bater massas e sopas. Comer pra mim é sentada, nem que seja num tamborete ou no chão, mas sentada e com tempo. Se não tenho tempo para tanto, prefiro segurar a fome até a próxima refeição.

  7. Olá, Fer!
    Obrigada pelo incentivo!
    Tenho visitado o seu blog muitas vezes, só que nunca tinha comentado. Gosto de aprender e como acontece sempre algo divertido ou que corre mal decidi partilhar por incentivo da minha irmã que está em Portugal e sempre a pedir as “minhas” receitas.
    Bjs

  8. Olha Fe, aqui se ve isso muito tambem. meus amigos continentais acham uma loucura. É um tal de comer sanduíches andando, e sem guardanapo.A mesma mao que coçou a cabeça pega no pão.Dureza.Até meu querido que é muito britânico apesar de maravilhoso (não que não sejam maravihosos) , come assim.ai, ai…

Deixe a sua pitada: