nº5

Minha amiga Eli e eu temos muitas coisas em comum, começando pelo dia do nosso aniversário. Duas librianas porretas, estamos sempre encontrando mais coisas em comum entre nós. A primeira delas, que descobrimos logo no início da nossa amizade e da qual nunca me esqueço, é a nossa paúra por estar/ficar cheirando a comida – roupa, pele, cabelo. Eu e a Eli temos uns rituais, umas maneiras de fazer as coisas na cozinha, de modo a estarmos sempre cheirosas. Acho que a maioria é como nós – uns mais obcecados, outros mais relax.

Com o meu olfato super apurado, eu sinto e cheiro de tudo e fico incrivelmente preocupada em não ser eu a figura com o cabelo fedendo a bife com cebola. Como a Eli, eu primeiro faço o rango e por último tomo um banho e lavo o cabelo. Faço verdadeiros contorcionismos e desenvolvo complicadas estratégias, pra não receber convivas cheirando a alho, ir a uma festa rescendendo a fritura, voltar pro trabalho denunciando que comi um misto quente, ou mesmo ir dormir com o cabelo cheirando a qualquer coisa que não seja shampoo e sabonete.

Já repararam que tem uns restaurantes de onde você sai fedendo? No inverno é pior, pois o casaco impregna, sem falar que nessa época os ambientes fechados abundam. Eu odeio sair de um lugar cheirando a comida. Quando faço o meu voluntariado no Mondavi Center – o teatro da Universidade – percebo quem chega vindo de um restaurante fumacê. Quando as pessoas entram no teatro e passam por você para serem levadas até as suas cadeiras numeradas, alguns cheiram a perfume, tem gente que capricha, uns cheiram muito bem, mas tem sempre aqueles que chegam parecendo que estão vindo do chinês da esquina, com um cheiro de fritura e molho de carne.

Hoje fiz um tofu frito pro jantar, dai pensei em dar uma passadinha no Co-op para pegar um pão. Cheirei e re-cheirei meu sueter de lã e decidi – no way, josé que eu vou dar esse bafão, aparecer em público cheirando a tofu frito. Fiquei em casa e fui tomar um banho – lavar bem o cabelo, que é como deve ser depois de lidar com uma frigideira!

19 comentários sobre “nº5”

  1. fer, voce ta criando um monstro.
    meu sentido mais agucado e a visao, entao meu cheirador nao e tao evoluido quanto o seu. mas ontem, durante a aula de yoga, nao teve como nao ficar lembrando de voce!
    a inglesa que mora comigo fritou frango antes de eu ir pra aula e fiquei toda incomodada, imaginando se nao tinha alguem como voce la! 🙂

  2. Então acho que isso de sentir o cheiro de tudo é coisa de libriana!
    Sou obcecada por cheiros e também detesto estar cheirando a comida, mesmo adorando cozinhar.
    Bife aqui em casa? De vez em quando, e depois de eu defumo tudo com incenso.
    A coisa piorou desde que fiquei grávida.
    Beijos

  3. Fer,
    quase morri de rir!
    Eu tb tenho “olfato de cachorro”, como diz meu marido.
    Peguei suas dicas das fotos e estou começando a treinar… Quem sabe…
    bjs

  4. Nao resisto, tenho que meter a colher….
    sabia que existe um nome para quem tem olfato agucado demais???? Prepare-se, porque e’ um nome bem feio – “osfre’sica” ou “osfre’sico” se for um cavalheiro, mas eu francamente acredito que essa caracteristica e’ associada com muito mais frequencia ao sexo feminino
    (nao sei como fazer acento nesse keyboard, entao improvisei)
    eu sou igualmente avessa a cheiros – voces nao imaginam a acrobacia manual que eu faco para comer mexerica – toco os gomos com um milimetro de unha e engulo sem tocar muito nos labios, porque adoro o gosto mas nao tolero o cheiro que deixa na pele
    Meu hubby so’ ri – ele esta’ acostumado, descasca e me da’ um gominho pequeeno de cada vez. Depois ameaca me dar um abraco com aquelas maos impregnadas de oleos naturais…. 🙂
    enfim, comidas a parte – nada e’ pior do que trabalhar com pessoas que nao sao muito chegadas a um chuveiro diario. Unfortunately, that is the case around here. Enough said 🙂

  5. O pior é quando se faz peixe. Eu nunca, bem raramente faço frituras, mas grelhar peixe, vc fica infestada e a casa, roupa, cabelo etc… Só um banho nessas horas mesmo. 😉

  6. Achei seu blog hoje. Já cheguei batendo na porta da cozinha. Menina, eu acho que esse trauma é geral principalmente aqui nos EUA que esses aromas ficam mais acentuados no inverno com tudo fechado. Adorei a sugestão do eucalípto.

  7. Oi Fer, eu sempre leio seu blog, embora comente pouco… mas hoje não me contive! eu estou feliz por saber que não sou a única paranóica com essa história de cheiros! eu almoço em restaurantes todos os dias e sempre saio de lá achando que estou fedendo. Minha amiga que almoça comigo diz que é cisma minha, mas não é não! eu odeio passar o resto da tarde sentindo cheiro de comida, ninguém merece né? um beijo!

  8. Olá,
    leio sempre o seu apetitoso blog,também cozinho e as vezes tenho a impressão que os aromas nunca me abandonam;se bem que cozinho profissionalmente o que é bem mais difícil se livrar do alho.
    Aqui em Saõ Paulo virou FEBRE picanha na chapa o que é um inferno pois vc fica fedendo a picanha alheia ,quer coisa de pior gosto?
    Ps. Leite queimado é tudo de bom!
    Muito prazer Roberta
    :)2007

  9. Fer, sou bem capaz de dar meia-volta ao notar que o restaurante vai me fazer lembrar dele a tarde inteira.
    Essa coisa toda de cheiros e cabelos me lembrou a vó Nair, que só fritava coisas com um lenço bem amarrado na cabeça. Não sei se adianta, porque não costumo fritar coisas, mas outro dias usei esse truque pra fazer um misto-quente, pois sabia que teria de sair de casa em poucos minutos 🙂
    Também gostei da dica da Sonia, só me faltam as folhinhas…
    Beijos

  10. Fer, adoro comida cheirosa, mas só ela, né, eu não! Uma vez visitei um apartamento pra comprar e ele era fantástico, mas o único defeito, que me fez desistir da compra era a cozinha e a lavanderia conjugadas, fiquei imaginando que não poderia cozinhar quando tivesse roupas no varal. Credo!
    Beijos

  11. Sonia, AMEI essa ideia do eucalipto fervendo! Vou adotar! Ana, essa do Carrefour eh realmente interessante. Cris, acho que as fedentinas sao universais, e ai ainda tem a do cigarro, ai, meus sais! Carla, tambem fecho as portas e sou aranoica com as roupas. Qdo esqueco cesta com roupa limpa na laundry, que fica perto da cozinha, e elas acabam cheirando refogadinho, me descabelo, fico muito louca! Essa historia dos cheiros eh bem complexa… :-)) beijao para todas!

  12. Ai Fer, sera que e mal das librianas? Eu sou a mesmissima coisa. E ainda tem mais, meu quarto tem que estar fechado porque nao durmo com cheiro de comida no quarto. Ja descobri que os piores pra impregnar o ambiente sao feijao, carne e alho frito. Vou adotar a dica da Sonia, adorei.
    Quando eu fazia academia as 7 da noite tinha umas mulheres que chegavam com cheiro de gordura, quando entravam na sala eu tinha vontade de sair, me embrulhava o estomago. Acho que ela faziam o jantar antes de ir malhar. Outra coisa e cinema, nao vou a restaurante fedido antes de ir ao cinema. ja pensou que mico passar o filme todo cheirando a gordura? Deus me livre!
    Beijocas.

  13. Fezoca, é verdade existe sitios que é demais, por aqui é igual, são locais que não tem uma extracção de fumos e cheiros eficaz…geralmente almoço aqui no trabalho e quando isso acontece estou livre desses cheiros a frituras, mas por vezes eu e a minha colega vamos almoçar fora, assim que entramos dizemos:
    -Vamos sair daqui com cheiro a fritos, e é bem verdade quando saimos nota-se logo, chegamos ao escritório e começamos a cheirar-nos :)buuuuuuu que cheiro, vai um pouco de perfume para ver se disfarça!!!! 🙂
    É muito chato, isso!!!
    Beijos grandes

  14. Sou igualzinha a você nesse quesito. Detesto ficar cheirando a tempero, a comida, a fritura.
    Mas também não gosto do cheiro de comida que se espalha pela casa. Eu faço o seguinte: enquanto estou cozinhando deixo um panelão com água fervendo e coloco dentro folhas de eucalípto. Exala um perfume delicioso. A casa fica cheirosinha! Na falta do eucalípto acho que outras folhas cheirosas podem ser usadas também.

  15. Fer,
    Com certeza ficar cheirando a gordura/fritura não pode ser pior. Também tenho horror! E alho e cebola nas mãos, então, nem pensar! Há uns anos, comprei um sabonete (agora já existe até líquido) para as mãos da Avon, exatamente para tirar cheiros. Mas nada se compara a um bom banho depois da lida na cozinha, por mais arejada que ela seja, né?
    Você falou em restaurantes que deixam a gente fedorenta, mas aqui em JF, além de alguns restaurantes, existe um lugar de onde a gente não esconde que esteve: o Carrefour! Não sei se é da cozinha deles (já que fazem pães, bolos, etc e também comida a quilo) ou se é das lanchonetes e restaurantezinhos que ficam próximos aos caixas, só sei que sempre que volto de lá fico impregnada de um cheiro de gordura insuportável! É banho direto!! Pessoas e roupas com perfume Carrefour, credo, sai pra lá!
    beijo,
    Ana
    PS: Tua “visita” também me deixou de sorrisão na cara, viu? Mas eu sou tímida – hahaha – vamos devagar, certo?

Deixe a sua pitada: