That’s Hollywood!

Me lembro, ainda criança assistindo filmes na Sessão da Tarde nas férias, de ir até a cozinha e encher uma xícara de café tirado de uma garrafa térmica que ficava sempre num canto da cozinha, para satisfazer os inúmeros cafezinhos que o meu pai bebia diáriamente. Eu fazia isso porque via os personagens nos filmes americanos bebendo café e ficava impressionada e motivada com o gosto com que eles faziam aquilo. O charme era o fato deles não usarem as xícarazinhas, como o meu pai fazia, mas umas xícarazonas de chá cheias do liquido negro. O que eu não sabia é que o café dos filmes era realmente esse café fraco, que hoje eu conheco muito bem, e não o nosso café forte, próprio para ser bebido nas xícarazinhas. Eu devia ficar totalmente turbinada, mas era legal demais tentar imitar o pessoal dos filmes!
Uma prima do Uriel, que também mora aqui nos EUA, uma vez me contou da primeira impressão de uma das irmãs dela, quando chegou em New York para visitá-la. Ela estava inconformada e perguntava insistentemente onde estava aquela comida maravilhosa e deliciosa que ela passou a vida assistindo aos personagens comerem lambendo os beiços nos filmes? Onde estão os donuts, as pizzas, o café – esse é o mais enganador, os hot-dogs, aquelas coisas que pareciam uma estupenda delicia, mas – SURPRISE – não são!! Enganação de Hollywood? Ilusão coletiva?
Eu observo muito a comida nos filmes. Como os atores comem ou não comem. Nos filmes antigos, todo mundo sentava-se à mesa, mas se prestarmos bem atenção vamos notar que ninguém realmente comia. Hoje os filmes são mais realistas. Eu deito cedo e fico lendo, fazendo coisas no computador e vendo filmes na tevê – tudo ao mesmo tempo agora! Outro dia enquanto pagava minhas contas online, passava o filme Moonstruck, com a Cher e o Nicolas Cage. É um filminho fofo, que eu não me incomodo de rever mil vezes. Muitas cenas se passam na cozinha da casa da famiglia Castorini. Eu adoro aquele tipo de cozinha, com muito espaço, uma mesa no centro. Numa das cenas, Olympia Dukakis prepara sunshine toasts – aquele ovo frito enclausurado num buraco no centro de um pão tostado, que se faz tudo junto, na frigideira ou no forno. Eu sempre quis fazer essas toasts, mas cmo não curto ovo e só faço breakfast quando tenho visitas, nunca tive a oportunidade de testar essa receita interessante. No filme, o ovo vasa por baixo e dá pra perceber que vai ficar uma bela droga quando a senhora Castorini vira a toast na frigideira. A filha cheira o prato antes de enchê-lo de sal e mesmo assim não come – vejam o filme e reparem!
Outra cena na cozinha é a final, quando a mãe prepara um mingau para todos – sogro, marido, filha, pretendente da filha e casal de amigos. Todo mundo come o mingau enquanto os nós da trama são desfeitos. Pra mim essas cenas dos filmes são preciosas e quase sempre inesquecíveis. Mas agora cresci e amadureci [um pouco] e desta vez não corri pra minha cozinha pra fazer um mingau!

7 comentários sobre “That’s Hollywood!”

  1. Fer, morri de rir desse seu post.
    Lembrei-me do meu avô materno q não podia ver ninguém levantar da mesa sem comer tudo, seja nos filmes ou nas novelas.
    Ele dizia toda vez: “Um país passando fome e esse pessoal disperdiçando a comida! Onde já se viu um negócio desses! Que mau exemplo pra juventude!”
    qua qua qua qua

  2. Fer, que delícia de post.
    AMO cinema e é bacana reparar nessas coisas de comida, etc.
    Outro dia, revendo (pela 18ª vez) meus DVDs de Sex and the City, vi o episódio em que a Miranda vai ao Weight Watchers tentar se livrar dos quilinhos a mais causados pela gravidez.
    Aparecem ela e um outro carinha num bar (tipo diner, mesmo) e eles pedem um Krispy Kreme. A fala dela é engraçada: “oh… this is worth being fat for!!” – sempre que vejo dou risada sozinha!

  3. Vou rever este filme para conferir estas cenas! Realmente o café dos americanos e que os japoneses aqui imitam não tem naaaaada de café, é chafé, como dizemos! rss

  4. Gosto muito dos seus assuntos e do modo q escreve, seu blog eh tao joia de ler!
    Adorei seu post de hoje! Sabe q eu nunca tive muita fascinacao com as coisas daqui dos EUA, ja a minha irma acha tudo lindo e maravilhoso!
    Ano passado quando ela veio me visitar eu tive pq tive q leva-la ao starbucks, pois era o sonho dela tomar um cafe do starbucks, mais especificamente naqueles copos to go e com aquele cardboard ring “anti-quentura”! Ve se pode! Ela tem 18 anos e simplesmente se realizou, amou o Mocha dela com todas as forcas, e voltou p/ SP mais feliz do q nunca, somente complaining e perguntando o porque de ainda nao ter starbucks no Brasil…
    E eu querendo uma barraca de sucos naturais, daquelas q so se encontra por la, vai entender, ne?!!
    Ana

  5. Fer, eu também achava um absurdo aquelas super sizes cup de café dos filmes enlatados… e quando morei aí na California foi uma decepção experimentar o cháfé (eu gosto de café forte, tipo europeu!). E as comidas, aqueles dinners com pratos de pancakes, sausages e tiras de bacon frito… ficava babando… e agora não posso imaginar comer isso sempre…que gordurada!
    Um iogurtinho natural feito em casa com frutas e café com pão integral é tão melhor…pelo menos agora eu acho!
    Você já viu um filme chamado TAMPOPO?Acho que vai gpstar. Bjs.

Deixe a sua pitada: