Dia de rango brejeiro

Eu sou expert em preparar rangos brejeiros, que é como eu chamo aquela comida frugal, feita com ingredientes comuns, e de preparo simples. Pra mim o rango brejeiro funciona até como comfort food, para aqueles dias quando você precisa de uma comida nutritiva, saborosa e rápida, sem firulas, sem trélelês e, principalmente, sem receita. Como ontem cheguei do trabalho e tive que ir ao supermercado – ôô tarefa odiosa – para comprar comida para os gatos, mais pão e leite, encurtei meu tempo na cozinha. Eu tenho um time frame para as minhas cozinhanças durante a semana. Gosto de jantar cedo, porque é melhor para a digestão e também porque tenho fome cedo. Gasto no máximo uma hora e meia nas preparações – geralmente das 5:30 às 6:30 pm. Não dá pra inventar muito, mas há dias e há exceções. Mas nos dias em que o tempo está curto e a fome está grande, tento tirar da manga da camisa variações do tal rango brejeiro. É vapt-vupt. O de ontem foi:

Arroz branco:
Sempre que digo arroz por aqui, é o basmati. Faço o arroz de preguiçoso, que dá até vergonha de dar receita, mas valá, é sempre 1 xícara de arroz lavado, uma pitada generosa de sal, uma pitada generosa de alho seco em pó, uma colher de chá de óleo, 1 1/2 xícara de água. Fogo alto até ferver. Dai abaixo o fogo, tampo a panela e em cinco minutos o arroz está pronto. Deixo descansar uns minutos com a panela tampada. Usando o basmati, essa receita faz um arroz sequinho e soltinho. Impressionante!

Bife acebolado:
Tempero os bifes fininhos com sal grosso e pimenta do reino moída. Deixo descansar uns minutos. Aqueço um pouco de óleo numa frigideira larga com tampa. Ponho os bifes, deixo fritar de um lado, viro, tampo a panela – vai juntar água, mas logo seca. Fico de olho, quando os bifes ficam dourados e começa a formar aquele molho escuro, jogo uma cebola grande cortada em fatias grossas. Tampo, vou mexendo de vez em quando, até a cebola ficar cozida e com uma cor dourada. Super simples, super bom pra comer até com pão.

Espinafre refogado:
Como eu lavo todas as verduras quando pego a cesta na segunda-feira à noite, tenho o espinafre já lavado e drenado guardado em sacos fechados. Aqueço azeite numa panela [uso as de ferro], ralo uns dentes de alho em láminas finas, refogo no azeite, adiciono o espinafre, salgo, deixo murchar bem. Nesse espinafre acrescentei um pimentãozinho vermelho picadinho em cubinhos pra refogar junto com o alho.

Salada de tomate:
Corte tomates em rodelas finas, pique cebolinha francesa e jogue por cima. Tempere com sal marinho, azeite extra-virgem e vinagre de vinho.

8 thoughts on “Dia de rango brejeiro”

  1. Fer, concordo com a Valentina, que inveja…
    Se saio do escritório às 17:30 em pontíssimo, chego em casa às 19/19:10 – estou bolando uma estratégia para convencer o marido a nos mudarmos para perto do meu trabalho, quando o nosso contrato de aluguel vencer (em março do ano que vem). Não agüento mais perder 3 horas por dia no trânsito, é um desperdício.
    Faço o bife acebolado do seu jeito e o João adora!
    Das últimas vezes usei a wok para fazer e ficou ótimo – além de não fazer quase nada de fumaça!

  2. pois então ontem e hoje eu comi rango brejeiro! a otília que trabalha aqui em casa é especialista, mas eu também dou meus pulinhos… então eu comi abobrinha verde batidinha, quibebe de abóbora, uma carninha moída com molho, muita salada verde com pepino japonês que eu AMO (adoro aquele croc-croc), umas batatinhas cobertas com queijo… tudo simples, rápido, gostoso e nutritivo. sem gordura, sem muito sal, sem firulas. é comida plena, na mais pura acepção do termo. que bom que aí, tão longe, você também curte. beijão!

  3. O perigo do espinafre passou então? Ranguinho bom esse! Quem me dera já jantar a esta hora. Se saio do trabalho cedo saio às 6. Vou de metro ate Waterloo, pego o trem. Se der sorte e tudo estiver running on schedule pego o das 6.30. Mas tenho que andar determinadamente – entenda-se rápido. Estarei na minha casa entre as 7.20/7.30.x

Deixe a sua pitada: