A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte

sfportflag.JPG

Fui ao banheiro com uma banana na mão. Fiz xixi, voltei comendo e pensando como a nossa vida gira e acontece em volta da comida. Não tem muita coisa que a gente faça que não esteja relacionada à comida. Encontros, passeios, o dia-a-dia de trabalho e compromissos. Apesar de eu ir almoçar em casa, eu trago uma lancheira para o trabalho. Nela sempre tem uma fruta, uma barra de cereal, bolachas salgadas.

Meu final de semana foi super corrido e cansativo, mas todo permeado – se não baseado, em comida. O avião trazendo o meu irmão aterrisou às oito da noite em San Francisco. Ainda pegamos muito tráfego na I80, que é a interstate que liga San Francisco à Sacramento e continua até Reno, em Nevada. Aquilo está sempre abarrotado de carros. Chegamos em casa às dez e meia e fomos dormir? Claro que não, fomos jantar e conversar. Eu tinha deixado uma sopa preparada, pãezinhos e salada engatilhados. Jantamos às onze da noite, sopa, salada, pão, vinho. E conversamos até não sei que horas. Eu estava tão cansada – pois acordo às seis da manhã – que num certo ponto fiz uma coisa que normalmente nunca faria: apressei meus convidados e praticamente sugeri ao meu filho e minha nora que já era hora de ir embora.

O final de semana foi uma maratona de conversas, passeios e comida! Almoçamos em casa, um churrasco que é sempre a coisa mais prática, o Gabriel cuidou e deixou a carne bem saborosa. Fiz uma salada e batatas fritas no azeite. Ficamos papeando à mesa, bebendo vinho e depois devorando blueberries com chantily [que eu adoço com mel] e figos rami, que meu irmão trouxe na mala. À noite fomos comer mais, num restaurante italiano em Sacramento.

No domingo já foi hora de partir, rumamos novamente para San Francisco e como chegamos cedo matamos tempo conversando num café, bebendo mocha, suco de laranja, iogurte, mordiscando scones de framboesa. Nem preciso dizer o quanto fico feliz quando recebo minha família aqui, e de como me entristeço com as despedidas. Foi uma visita muito rápida, mas já deixamos planos estipulados para outra, em fevereiro, quando ele vier novamente à trabalho para Las Vegas.

Como já estávamos em San Francisco, eu quis passar no Ferry Plaza Market, que é um mercado de produtos orgânicos que foi construído no antigo porto da cidade. É um prédio lindo, na beira do oceano com vista para a Bay Bridge, cheio de lugares deliciosos para comprar e comer. Almoçamos num japonês muito bom e depois pegamos uma barca até Sausalito. Essa é uma cidadezinha do outro lado da baia, com muitas galerias de arte e lojinhas variadas. Voltamos para San Francisco e eu fiz comprinhas na Sur La Table – pra espantar o banzo de dizer tchau pro irmão! Ainda compramos pães, gelatto e voltamos para Davis. Quando chegamos em casa fizemos um lanchinho. Me digam se a vida da gente não é só comida? E um pouco de diversão e arte…

10 thoughts on “A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte”

  1. Ai, Fer… Que final de semana maravilhoso.
    Eu amo comer e fazer comida. Mas, amo muito mais ainda o Ferry Building. É meu pedaço favorito de SF. Que saudade q me deu agora…
    Aqui em São Paulo, está tudo cinza. E eu nem conheço o Mercadão (algo mais próximo ao Ferry Building por essas bandas).

  2. Comida é uma coisa maravilhosa! Tanto para o corpo como para a alma! Fico feliz de saber que seu final de semana foi maravilhoso! Adorei o post e os detalhes de tudo o que comeram! Delícia!

  3. Olá Fernanda, que maravilha um fim de semana com a familia, depois de uma semana de trabalho, não existe nada melhor…eu também passei o meu com minha familia, filho, marido, meus pais irmã, cunhado e o mais novo membro da familia o meu sobrinho de dois anos Ruben.Minha mãe é uma optima cozinheira acho que saí a ela, quado nos convida é sempre para um lanche ajantarado…como costuma sempre dizer!!! :).
    Beijos grandes
    Cris

  4. So mudou a cidade e as pessoas, mas o meu programa ontem foi o mesmo que o seu 🙂 Fomos no Pike Place Market que fica na beira da baia em Seattle, e fomos na Sur Le Table pra comprar umas coisinhas 😉 So que almocamos num frances (mas jantei num japones, haha). Esses mercados sao lindos e gostosos, uma perdicao 🙂

  5. Fe, fim de semana bacana este, apesar do passo apressado. Que bom ver o irmão. Sinto tantas saudades do meu.É, realmente vivemos em torno da comida para nos confraternizarmos (soou estranho?)Que bom ouvir as tuas histórias.

  6. Sem duvida Fernanda! Comida une as pessoas, reune a familia, reencontra os amigos. Eh sempre em torno da mesa, sentados em um bar, conversando entre amigos num cafe… assim q passamos e relembramos os melhore momentos da vida, com pessoas amadas, bebericando e beliscando aqui e ali!
    Ana

Deixe a sua pitada: