pança cheia

* post reciclado de agosto de 2005, do The Chatterbox.
Uma amiga mencionou um prato típico do norte ou nordeste chamado baião de dois e eu fiquei com as bichas. Então hoje resolvi fazer o tal prato, mas num esquema muito do improvisado. Procurei a receita no cybercook e ia tanto ingrediente regional – manteiga de garrafa, feijão não sei das quantas, farinha de não sei o que. Pensei, vixe maria, acho que vou ficar só na vontade. Mas a capacidade de improvisação do ser humano é uma coisa impressionante. Fiz o tal baião com um bacon americano que eu descongelei no microondas, um feijão italiano e um arroz basmati indiano que eram sobras de outro dia, adicionei pimentão e tomate, salpiquei com queijo ralado e servi acompanhado de um refogado de quiabo. Nem sei se combina, nem se esse baião fajuto pode ser chamado de baião. Mas que ficou muito bom e eu enchi a pança é a mais pura verdade!

8 comentários sobre “pança cheia”

  1. O que a gente não faz para matar essas lombrigas de comidinha brasileira ne? rsss
    De fajuto não tem nada neste baião de dois, está é pra lá de chic!!!

  2. Minha mãe como boa cearense que é faz um que é uma delícia… existem outras variações pro nome sabia? São elas…
    – puta-que-o-pariu;
    – arrubacão;
    e baião-de-dois.
    Fora o “queijo manteiga” e o piqui que dá um gostinho pra lá de arretado no prato 😉

  3. Aqui em São Paulo tem um baião de dois maravilhoso no Mercado Central, e ele é um pouco diferente também: arroz e feijão de corda,m com cebola, e vem com costelinha, torresmo, queijo assado, lombo… hummmmm é uma delícia e não leva coentro. De modos que baião de dois pode ter várias caras, o que vale é a intenção :o)

  4. E ainda vou provar dessa sua receita, Fer, afinal, o prato ideal é aquele que atende ao nosso paladar. E se ele ficou gostoso, qualquer dia vou testar essa mais recente versão do baião de dois, utilizando os mesmos ingredientes.
    Ah, e essas flores, continuam fresquinhas, continuam irresistíveis!
    Parabéns por esse sitiozinho, cada vez mais agradável.
    Bjs

  5. Olá, Fer!
    Conheci o Chucrute há pouquinho tempo e estou devorando *literalmente* os arquivos. Aquela receita de tortilla espanhola é uma coisa de louco e o arroz doce mexicano tem lugar reservado para esse próximo final de semana gaúcho que promete ser friiiio! Agora estou empenhada na nobre missão de fazer minha família acreditar na possibilidade de uma ótima sobremesa sem chocolate… Alguma receitinha de pudim de frutas, quem sabe… Será que tem alguma delícia assim nos seus cadernos e livros? 😉
    Beijos!

  6. fer, adoro cozinhar, vi teu comentário lá no biajoni (post da sônia hirsch) e vim conferir. nossa, amei tudo! o visual lindo e os textos de dar água na boca de qualquer amante de dietas convicto. inda bem que eu não sou assim; eu sou glutona… muito bom. bjs.

  7. Fe,comi crescendo baiao de dois pois minha família é do ceará. O feijão é feijão de corda ( um feijao que vem em vagem quando nao maduro; quando seco vendem em saquinho que nem outros feijões) Macassa no sul acho.Minha mae disse que vai me dizer qual seria um outro substituto. Ela já usou ate fava (embora o sabor mude pois o feijão de corda tem um sabor bem característico)O arroz normal, o bacon que voce já sabe o queijo tipo de coalho. Coentro. É comido por todos (rico, pobre).Se nao me engano é o prato mais tipico do ceara. E te digo que sempre minha familia fazia (avó, tia..). Lembro de me sentar na cozinha com a minha tia para debulhar o feijao de corda verde para preparar o baião. Minha tia as vezes leva o feijão de corda verde quando vai visitar a mamae.

Deixe a sua pitada: